Soft skills

O mundo depende cada vez mais das pessoas, por maiores que sejam os avanços tecnológicos ou a evolução das sociedades a resposta ao mundo complexo em que vivemos só pode ser dada pelos indivíduos. Só o talento, através do potencial humano e da sua extraordinária capacidade de adaptação, consegue contestar este contexto caótico de competição global, volatilidade, incerteza e ambiguidade onde os resultados são ditadores do alcance de objetivos. O ser humano terá, mais do que nunca, que estar “fit” para ser capaz de responder on time a todas as exigências, acredito mesmo que só os mais rápidos e astutos sobreviverão... Será preciso estar apto para aceitar desafios, interpretar oportunidades, compreender as correlações de múltiplas variáveis e as consequências das diferentes situações. Acredito que qualquer experiência desportiva nos habilita para tudo isto porque nos ensina, interioriza e faz aplicar desde cedo as soft skills que o futuro exige. De uma vez por todas usufruamos desta capacidade, ao alcance de todos, para habilitar as crianças e jovens com competências que os melhores especialistas de recursos humanos procuram e que está incorporado no sistema de ensino português ou no desporto de clube. Com um movimento associativo altamente dependente do contributo dos pais para sobreviver e a escola a sentir pouca motivação e apoio governamental para tornar a educação física e o desporto realmente importantes estamos a perder a melhor oportunidade de dotar os portugueses desde tenra com estes skills. Uma licenciatura por si só já não é suficiente para se vingar na vida por isso há que procurar vivências que treinem competências como a Liderança, comunicação, orientação para os resultados, relação interpessoal, saber estar em equipa, auto consciência, focalização, iniciativa, capacidade para dar resposta aos desafios com inovação e criatividade, entre outras. De uma forma formal ou informal qualquer modalidade desportiva é capaz de oferecer tudo isso a quem a pratica, será que as empresas não poderiam olhar para esta realidade como um investimento no futuro dos seus recursos humanos? Não são pessoas dotadas com estas capacidade que aumentam a produtividade das empresas, então porque não apoiam nem fomentam mais o desenvolvimento de uma sociedade com maior cultura desportiva?

Data: 22.04.17
Partilhar »