Mundial de Futebol 2010 - Artigo 6

Os jogos dos ¼ final estão a ser claramente marcados por erros de arbitragem evitáveis se a FIFA tivesse a coragem de seguir os bons exemplos dados pelas outras modalidades, como é o caso do olho de falcão no ténis e o vídeo árbitro no rugby, a margem de erro seria inevitavelmente diminuída. A mais profissional e endinheirada das modalidades desportivas contemporâneas não pode resistir à evolução da verdade desportiva e continuar a colocar o ónus na momentânea visão humana. Como podem os mais altos responsáveis do futebol permitir que um Mundial seja manchado por situações de erros grosseiros. Chegou a altura da mudança, haja coragem!

A importante e justa qualificação para os quartos de final foi o nosso terceiro resultado positivo consecutivo, o que nos coloca uma vez mais no trilho da final... Chegou a hora do mais ambicionado e desejado teste – a Espanha. Nestes momentos temos que ser mentalmente mais agressivos e na 1ª oportunidade matar o jogo. Aquilo que os grandes campeões chamam de “killer instinct”. Em alto rendimento a concentração é outro dos factores determinantes, e geralmente ela está mais desperta e atenta quando existe respeito, medo e alguma ansiedade na procura do objectivo – é o caso. Apesar de tudo em competição o indispensável é ganhar, por meio golo que seja! Hoje temos o mais motivador dos combates – Espanha na Cidade do Cabo! Jogamos um duelo Ibérico, o Orgulho português contra o poderio de Espanha… Compete-nos revelar permanentemente comportamentos e pensamentos positivos durante o tempo que vai da preparação à prática, valorizar o plano estratégico definido, exibir as componentes técnico – tácticas e o conhecimento profundo do adversário para anteciparmos aquilo que eles quererão e poderão fazer! Quem tem o atrevimento e a coragem de mostrar, no momento apropriado, as suas qualidades e o que de melhor sabe fazer, arrisca-se a ganhar! Mas quem tem medo de falhar, morre! Dominar a pressão é pressionar primeiro, é pôr em prática aquilo que está treinado e ao nosso alcance.Demonstrado o que nós, Portugueses, temos de melhor: um jogo dinâmico, rápido e ousado… sempre apoiado na nossa inviolável defesa. Vamos ACREDITAR mais! E vencer limites!

Data: 29.06.10
Fonte: JN - Jornal de Notícias
Partilhar »