Mundial Futebol 2010 - Treinar a Atitude

Tudo parece correr bem na excelente e cuidada preparação da Selecção Nacional. Maximizar o colectivo, transmitindo os ideais que suportam e potenciam o verdadeiro trabalho em equipa, foi uma das estratégias escolhidas pelo Seleccionador Nacional. Não é ao acaso que foi escolhido o João Garcia, um dos maiores exemplos nacionais de sacrifício e persistência, para transmitir com maior convicção atitude aos jogadores. A alma deve ser trabalhada e o espírito de equipa cultiva-se no treino e nas pequenas coisas do dia-a-dia – é aí que reside a força do “querer”. Porém, não basta sentir muita vontade. É necessário acreditar naquilo que fazemos, naqueles que nos lideram, nos desafios que nos lançam e no caminho que nos apresentam. A opção por um treino militar revela a intenção de explorar a força de uma equipa, a preferência por estas actividades de team building permite criar desafios e analogias com as situações competitivas que irão viver. A Selecção Nacional de Rugby, desde há 10 anos, que procura com êxito o apoio do nosso corpo de fuzileiros para os ajudar a cimentar o espírito de equipa fundamental na superação de adversidades e objectivos ambiciosos. Recorrem a exercícios de grande dureza e durabilidade (nunca menos de 5 dias) para expor os jogadores e o staff técnico a tarefas práticas de trabalho em equipa e liderança. O facto de pernoitarem em instalações próprias de um regime de treino militar enriquece a alma e prepara o físico para sair da zona de conforto em prol das necessidades, regras e valores de um colectivo. Sentimo-nos mais altruístas e comprometidos com a missão a desempenhar sempre que partilhamos sacrifícios e dificuldades extremas. Facilmente se torna perceptível que o talento individual só fará sentido se usado em prol de uma Equipa, uma Selecção, um País – Portugal. A todos compete sentir que quando entram em campo, onde quer que seja, têm pelo menos 10 milhões de portugueses à espera do seu sucesso para comemorar a alegria da vitória e transformarem as dificuldades do dia a dia num imenso orgulho de ser português. Por acreditar que a força mental é o eixo essencial para atingir o sucesso, transmito a ideia que sem querer, sem empenho, sem concentração máxima, sem uma entrega de todos, jamais podemos ambicionar ganhar. Torna-se muito difícil, diria quase impossível, derrotar uma equipa coesa, motivada e capaz de se entregar de corpo e alma ao jogo. Força Portugal!

Data: 04.06.10
Fonte: JN - Jornal de Notícias
Partilhar »