Portugal vs Alemanha

Um bom espectáculo desportivo e competitivo foi este primeiro jogo dos ¼ final entre Portugal e a Alemanha. Apesar de um começo menos conseguido, muito por culpa de uma Alemanha, que como se antevia, apareceu com a sua atitude competitiva baseada num futebol simples, vertical e aguerrido marcando dois grandes golos logo no início da 1ª parte. Portugal controlou muito bem as emoções, foi à procura das soluções e acabou por fazer uma mudança forçada que trouxe ainda mais intencionalidade ao colectivo. Reagiu através do seu bom entrosamento colectivo, da velocidade dos seus extremos e da criatividade que os tem caracterizado, desta forma chegou ao golo no momento certo deixando tudo em aberto. Jamais conseguiremos imaginar o que diz um treinador ao intervalo à sua equipa, num momento destes de tudo ou nada, em que sente que está tudo em aberto. Geralmente procura analisar friamente o que se está a passar e acima de tudo aquilo que pode e deve mudar para inverter o resultado. Mais do que em qualquer outro momento tem que fazer sentir que está com os jogadores e que nada está perdido, dá uso à sua intuição de forma a perceber o que o grupo precisa para não se perder e cometer o maior dos erros, tornar-se impaciente, querer fazer as coisas depressa optando por soluções precipitadas. Torna-se igualmente importante a mensagem motivacional a passar, que poderá vir a reforçar as intenções iniciais. Aqui mais do que racionalmente reage com o coração e a emoção que vive na altura, de forma a conseguir transmitir toda a sua força, confiança e orgulho. Nunca podemos esquecer que qualquer treinador vive e sente o jogo com a mesma ou mais intensidade que os próprios jogadores. Nestes momentos deve também dar oportunidade aos outros líderes do grupo para revelarem o que sentem e manifestarem as suas soluções mediante o grupo. Faz a diferença, quando ao intervalo, consegue transformar e mais do que nunca fazer acreditar que realmente tudo é possível. Só que, muitas vezes esquece que no outro balneário está também uma grande equipa e que sai na frente…

Portugal tentou! Sem dúvida arriscou! Verdade que muitas vezes mais com o coração do que com a cabeça e nem o 3º golo da Alemanha impediu que continuássemos a lutar até ao fim. Mostraram-se fortes os jogadores, lutaram não perdendo o seu espírito de equipa, apoiaram-se e entusiasmaram-se constantemente, pena é que não tivessem conseguido os merecidos golos para chegar à vitória. Saímos tristes, mas dignos e de cabeça levantada!

Data: 19.06.08
Fonte: O Jogo
Partilhar »